Devaneios de uma Engenheira Florestal

Via Láctea: A Nossa Galáxia.

Você já olhou para o céu esta noite?? Sabe se esta estrelado ou não?? deixa eu adivinhar a resposta, não.

Bom, não é novidade para ninguém que eu amo olhar para o céu, admirar algumas constelações ou quem sabe ver algum planeta.  Mas o que mais me fascina sem dúvida é o mistério, saber que o nosso conhecimento é muito pequeno sobre o que há lá fora. Se você algum dia puder ir para um local onde tenha pouca luminosidade a noite (Ex: Sítio, floresta, praia), você ira perceber que há muitas estrelas na abóbada celeste e essas estrelas fazem um caminho céu, esse caminho se chama Via Láctea, e por incrível que pareça nós moramos dentro dele.

 

 Na nossa civilização, o nome Via Láctea vem dos gregos antigos, que a viam como um “caminho de leite” no céu. É encontrada nas mais diversas culturas com os mais diversos nomes. Os índios Tembé (sul do Pará) a chamam de “Caminho da Anta”; por exemplo.

    No início do século XVII, com a invenção do telescópio, vimos que a luz da Via Láctea consiste da luz “misturada” emitida por um número muito grande de estrelas. Quanto maior o telescópio utilizado, mais estrelas são vistas (individualizadas) nessa faixa do céu.

Hoje sabemos que essa faixa é a visão que temos de nossa própria galáxia, vendo-a por dentro. Galáxias são os agrupamentos imensos nos quais se reúnem as estrelas (e entre elas muito gás e poeira).

Adotamos o nome Via Láctea para a nossa galáxia. Ela é do tipo espiral. Sua forma é denunciada pelo grande acúmulo de estrelas em um plano (o plano da faixa luminosa que vemos no céu). Não podemos ver distante ao longo do plano da Via Láctea, devido à grande quantidade de poeira aí existente.O tamanho de nossa galáxia e a localização do Sol, entretanto, são conhecidos há quase 80 anos. Isso foi possível observando aglomerados estelares (globulares) que se distribuem fora do plano da galáxia. Estimamos que a Via Láctea possui entre 200 e 250 bilhões de estrelas.

O Centro de nossa galáxia fica na direção da constelação de Sagitário. (Encontramos vários tipos de nebulosas e aglomerados estelares nessa região.) Vendo do Sistema Solar, essa é a porção mais brilhante da Via Láctea. Também aí, como ao longo de todo o plano de nossa galáxia, não podemos ver longe, devido à grande quantidade de poeira existente em todo disco da Via Láctea.

Luz (onda eletromagnética) de freqüência (cor) diferente, é absorvida diferentemente pelo meio interestelar. Isso faz com que tenhamos visões diferentes de uma mesma região do céu, se a observamos em “cores” diferentes. Na luz visível, por exemplo, é tão absorvida pelo meio interestelar que em qualquer direção do plano da Via Láctea, não podemos ver mais do que a algumas centenas de anos-luz de distância. Fotografias de uma mesma região do céu, feitas em freqüências diferentes, nos revelam objetos e constituintes diferentes, presentes a distâncias também diferentes

Agora que você já conhece a nossa galaxia, você sabe o nosso endereço dentro dela?? Sim, a nossa localização??

Imagine que em um futuro não muito distante (alguns poucos milhões de anos), algum descendente nosso tenha ido até uma galáxia vizinha em sua nave pessoal (isso será possível?) e em seu retorno à Terra tenha se deparado com a seguinte questão:

- Em que local da Via Láctea fica o Sistema Solar?

Imagine esse nosso descendente (vamos chamá-lo de Zul) se aproximando de nossa galáxia. Quanto mais se aproxima, maior ela parece ser. Para que “lado” desse imenso aglomerado de estrelas Zul deve se dirigir?

O Sol fica a aproximadamente 30.000 AL do centro da Via Láctea (raio 50.000 AL), mas em que direção?

Uma boa dica para Zul é orientar-se por uma galáxia anã descoberta em 1996, a vizinha mais próxima da Via Láctea. Apesar de muito próxima ela ainda não havia sido “vista” pois se encontra ao longo do plano que contém o disco de nossa galáxia, “escondida atrás do núcleo da mesma”.

O Sistema Solar se encontra a aproximadamente 30.000 AL do centro da Via Láctea, no lado oposto ao dessa nossa vizinha.

Aproximando-se dessa região, Zul deverá procurar pelo braço espiral de Orion, que fica entre os braços de Sagitário (interno) e de Perseus (externo). É aí que o Sol se encontra.

Ainda não sabemos exatamente quantos braços a Via Láctea possui. Pelo menos mais um braço interno, ao qual denominamos Centauro, é certo que ela possui.

O Sol não é uma estrela que se destaque entre as demais. Para achar o Sol, Zul poderá orientar-se por duas estrelas, nossas vizinhas, muito brilhantes: A imensa Betelgeuse, uma estrela avermelhada (gigante vermelha) que se encontra a 428 AL do Sol; e Sirius, uma estrela branca, que se encontra a apenas 8,6 AL de nós.

Agora que você já sabe a nossa localização, você sabe quem são nossas galáxias vizinhas??

Galáxia de Andrômeda (M31 ou NGC 224)

Nebulosa da Tarântula

NGC 3949

Nós temos muito mais vizinhos, mas galáxias eu só consegui achar essas. Se alguém achar mais alguma, por favor, avise. ;)

A mais bela coisa que podemos vivenciar é o mistério. Ele é fonte de qualquer arte verdadeira e qualquer ciência. Aquele que desconhece esta emoção, aquele que não pára mais para pensar e não se fascina, está como morto: seus olhos estão fechados.

Albert Einstein

Fonte: UFMG, UFMG

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 33 outros seguidores